Brasil retoma seu programa de Míssil de Cruzeiro com alcance de 300 km.

0
9400
A campanha de voos de testes do Avibras Aeroespacial MTC-300 será retomada até o final de 2018.

A campanha de voos de testes do Avibras Aeroespacial MTC-300, primeiro míssil de cruzeiro projetado e fabricado no Brasil (300 km de alcance declarado e precisão circular provável – ‘Circular Error Probable‘ ou CEP –  inferior a um raio de 50 metros), será retomada até o final de 2018.

Disparos das campanhas iniciais de testes em voo do míssil de cruzeiro.

Com essa nova programação, as entregas de 100 mísseis de cruzeiro, encomendados em 2016, começam em 2020, com uma previsão de conclusão fixada para 2023. O investimento, estimado em R$ 2,45 bilhões, também incluiu o desenvolvimento e produção de um novo foguete guiado de 40 km de alcance, o SSG-40.

O foguete guiado SSG-40.
Maquete do míssil em 2013: mudanças importantes na configuração ocorreram até 2018.

Fabricado pela Avibras Aeroespacial, O Astros 2020 é um sistema de lançadores múltiplos de foguetes empregado para abater alvos estratégicos em engajamentos superfície-superfície. Também é eficaz como artilharia de costa na defesa do litoral, particularmente quando o alvo for um desembarque anfíbio inimigo.

Seu desenvolvimento e posterior aquisição foi definido dentro do Programa Estratégico do Exército (PEE) Astros 2020.

MTC-300, a “Bala de Prata” estratégica

Lado a lado o MCT-300 e o SS-150, ambos designados para serem disparados pelo Astros 2020.

O desenvolvimento e industrialização do MTC-300 entrega ao Brasil uma arma estratégica de alto poder dissuasório, transformando a sua interface de lançamento, o Artillery SaTuration ROcket System, ou Sistema de Foguetes de Artilharia para Saturação de Área Astros 2020, em uma arma ainda mais formidável.

O Astros 2020 é capaz de lançar munições de diferentes calibres a distâncias entre 9 e 300 km (usando um inteligente sistema de troca dos casulos/containers), o Astros 2020 pode disparar  desde os mais comuns foguetes de 70 mm do tipo Skyfire (indicados para treinamento), até os modelos SS-30, SS-40, SS-60, SS-80, SS-150 m (desenvolvimento), FOG-MP (desenvolvimento – fibra ótica, alcance 20 km) e MTC-300 (anteriormente AV-TM 300, estratégico, 300 km alcance declarado).

As ogivas mais complexas disponíveis, nas versões SS-40 a SS-80 entregam dezenas de submunições de 70 mm sobre alvos como estações/linhas de transmissão de energia elétrica, refinarias da indústria de óleo e gás, concentrações de material/pessoal, alvos de grande valor e relativamente desprotegidos em termos de blindagem/controle de danos e avarias em grande escala.

Faltam 17

O Programa Estratégico Astros 2020 nada mais é que a sexta geração de um sistema lançador múltiplo de foguetes de artilharia criado há cerca de 35 anos pela empresa Avibras Aeroespacial, de São José dos Campos (SP).

6º Grupo Lançador de Mísseis e Foguetes, Forte Santa Bárbara.

Reputado como um dos sete programas indutores da transformação da Força Terrestre, compreende o Forte Santa Bárbara, instalado em Formosa (GO), ao lado de Brasília. Ali estão o grupo de lançadores de mísseis e foguetes, paióis de munições, centro administrativo, centro de treinamento, instalações das seis baterias e facilidades de manutenção para uma frota de aproximadamente setenta veículos, distribuídos entre as versões AV-LMU, AV-PCC, AV-MET, AV-RMD e AV-UCF (53 desses veículos já foram entregues).

O motor de aceleração usa combustível sólido e só é ativado no lançamento (direita). Logo após, ele é descartado e entra em ação o motor de cruzeiro estatojato (esquerda) construído para durar 40 horas, dez vezes mais que as quatro horas do tempo máximo de uma missão de ataque. A navegação é feita por uma combinação de caixa inercial e GPS. O míssil faz acompanhamento do terreno com um sensor ótico-eletrônico, corrigindo o curso em conformidade com as coordenadas armazenadas a bordo.