BAE Systems apresenta suas grandes armas na LAAD Brasil 2019.

0
977
O M109 foi selecionado pelo Exército Brasileiro em 2012 e a BAE Systems, em parceria com a Força Terrestre, realizou o upgrade para a versão A5+, com entrega prevista para 2019.

A BAE Systems apresenta suas grandes armas na edição de 2019 da LAAD Defence & Security, que acontecerá no Rio de Janeiro entre os dias 02 e 05 de abril.

Em seu estande, ela apresenta o obuseiro autopropulsado M109A5+ usado pelo Exército Brasileiro.

O produto será peça central de sua exposição, explorando todo o trabalho da empresa no Brasil.

M-109A5 BR no Pq R Mnt 5, em Curitiba (Foto: Roberto Caiafa)

O M109 foi selecionado pelo Exército Brasileiro em 2012 e a BAE Systems, em parceria com a Força Terrestre, realizou o upgrade para a versão A5+, com entrega prevista para 2019.

O M109A5+ incorpora diversos sistemas digitais capazes de enfrentar os desafios atuais da Artilharia de Campanha.

M-109A5 no 5º GAC AP, onde será convertido em simulador do sistema (Foto: Roberto Caiafa)

A exibição da BAE Systems no estande inclui um modelo do versátil Navio de Patrulhamento Offshore, o radar 3D Artisan, o canhão 40 Mk 4, todos utilizados em serviço pela Marinha do Brasil.

Os modelos da canhão 57 Mk 3, o obuseiro M777 e o Veículo Anfíbio de Assalto (CLANF), entregues pela BAE Systems recentemente também serão exibidos.

Culatra do tubo de 155mm do M-109 A5 BR (Foto: Roberto Caiafa)

A empresa também exibirá algumas de suas mais avançadas soluções em eletrônica, incluindo o kit APKWS® para guiamento a laser de foguete 70mm, comprovado em combate.

O kit de guiamento, fabricado pela BAE Systems, que transforma um foguete não guiado de 2,75 polegadas (70 milímetros) em um foguete guiado com precisão, dá aos combatentes uma capacidade de ataque precisa e de baixo custo.

“A BAE Systems é uma empresa de alta tecnologia com um histórico de colaboração em toda a América Latina. Queremos apoiar o governo brasileiro no fornecimento de soluções de defesa de alta qualidade e baixo custo para ajudar a proteger o país e contribuir para o desenvolvimento da indústria de defesa brasileira”, diz Marco Caffe, Gerente Geral da BAE Systems para o Brasil. “Nossa presença nesta importante exposição foi projetada para mostrar não apenas nossa capacidade, mas também a maneira como operamos”, completa Marco.

Marco Caffe, BAE Systems (Foto: Roberto Caiafa)

A BAE Systems atua nos domínios terrestre, marítimo e aéreo no Brasil há mais de 50 anos e opera por meio de parcerias locais, transferindo tecnologia para a indústria brasileira.

Isto pode ser visto no Navio Patrulha Oceânica (NaPaOC) da classe Amazonas, escolhido pela Marinha do Brasil em 2010.

P-120 Amazonas (Foto: Roberto Caiafa)

A empresa fornece uma variedade de produtos e serviços para seus clientes brasileiros, incluindo sistemas de software e hardware, serviços de design, suporte e integração para aeronaves, artilharia de campanha, canhões navais e veículos blindados.

A BAE Systems trabalha em parceria com a Embraer para fornecer “sticks” de comando laterais ativos como parte dos controles gerais da cabine do avião de transporte militar KC-390. Isso fornece uma amplitude de capacidade que abre o caminho para uma maior colaboração no futuro.

BAE Systems no Brasil

Atuando no Brasil há mais de 50 anos com equipamentos em serviço nos domínios terrestre, marítimo e aéreo, a BAE Systems tem o compromisso de fornecer soluções de defesa por meio de parcerias locais e transferência de tecnologia.

Por meio do fornecimento de artilharia a canhões navais, veículos blindados para sistemas de guerra eletrônica, os Navios Patrulha da Classe Amazônia e o Sistema de Gerenciamento de Combate Artisan 3D e DNS-2 no porta-helicóptero  Atlântico (antigo HMS Ocean), a BAE Systems está comprometida com Brasil.

Projetado para as tarefas de Controle de áreas marítimas, projeção de poder sobre terra, pelo mar e ar, o Atlântico dispõe de considerável capacidade de suporte hospitalar, visando a apoiar uma Força Naval em operações de guerra naval.(Foto: Roberto Caiafa)