Bachelet inaugura Exponaval Trans-Port 2014

0
1197
(Imagem: Divulgação FISA)
(Imagem: Divulgação FISA)
(Imagem: Divulgação FISA)

De Viña del Mar (Chile) – A construção de um navio antártico, de um novo patrulheiro oceânico e de um dique flutuador capaz de receber navios Pos Panamax, foi o que anunciou a presidente do Chile, Michelle Bachelet, durante sua intervenção no ato de inauguração da feira naval e marítima Exponaval Trans-Port 2014, o maior evento deste tipo realizado na América Latina.

A mandatária explicou que o projeto destinado a assumir a construção do novo navio antártico tem por objetivo substituir o quebra-gelo “Almirante Oscar Viel”, e que se aproxima do final de sua vida útil. Construído em 1969 pelo estaleiro Vickers Armstrong de Montreal e operado com o nome “Norman McLeod Rogers” pela Armada do Canadá, o quebra-gelo foi adquirido pelo Chile em 1994; iniciando seus serviços e sua primeira campanha antártica no ano seguinte. Desde então, cada temporada de verão, o navio realiza um deslocamento de vários meses até o continente antártico com o objetivo de abastecer as bases chilenas na zona, substituir suas dotações e prestar apoio às bases estrangeiras.

“Nosso objetivo é contar com um navio dotado das capacidades necessárias para desenvolver todas as operações na área antártica, incluindo uma renovada capacidade para realizar estudos científicos”, disse a presidente. Entretanto, afirmou que “no âmbito marítimo e naval está disposta a construção de um novo patrulheiro de zona marítima, algo que permitirá fortalecer as capacidades de proteção da zona econômica exclusiva. Com isso, como Governo, decidimos iniciar os estudos necessários para um novo navio, o número três de ASMAR, que permitirá satisfazer a necessidade de manutenção dos navios Post Panamax na região do Pacífico Sul Oriental”, disse Bachelet.

A feira Exponaval, organizada pela Armada do Chile e pela FISA, foi inaugurada nesta terça-feira (02) na Base Aeronaval Viña del Mar, com a presença de aproximadamente 150 expositores, 32 delegações internacionais e 29 países, além da participação de importantes autoridades do governo, das Forças Armadas, e empresas expositoras do Chile e outros países. Realizada desde 1998, é uma feira internacional que serve como ponto de encontro para as Marinhas da América Latina e expositores de diversas indústrias a nível mundial, tais como estaleiros, de tecnologia marítima, segurança, telecomunicações, entre outros setores. Em 2004 anexou-se Trans-Port, como uma feira associada focada exclusivamente ao âmbito marítimo e portuário.

O comandante da Armada chilena, almirante Enrique Larrañaga, destacou que “A Exponaval é um evento único especializado, reconhecido a nível mundial como uma instância fundamental para projetar interesses regionais, tanto navais como marítimos. A implementação de uma feira como esta, permite aproximação ao conhecimento tecnológico, dando espaço próprio para profissioais da área marítima e Defesa compartilharem conhecimento”.

Para esta quarta-feira (03), às 10h00, ocorrerá a inauguração da 9ª Conferência Internacional Exponaval Trans-Port 2014, entitulada “O desafio das Armadas e da indústria marítima em eficiência energética e meio ambiente”. A conferência inaugural ficará a cargo da jornalista e escritora britânica Rose Georgem, quem irá expor o tema “Cegueira Marítima: como a invisibilidade da indústria naval impacta o meio ambiente”, e que contará com a presença do ministro Máximo Pacheco.

Cristián Marambio