Ases da Aviação Naval Norte-Americana (US Navy e USMC).

0
1072
"A Salute to Navy and Marine Corps Fighter Aces", litogravura representa o orgulho da Aviação Naval norte-americana voando em formação.

“A Salute to Navy and Marine Corps Fighter Aces”

Nesta litogravura memorável, temos a representação do orgulho da Aviação Naval da Marinha dos Estados Unidos voando em formação.

A peça original foi assinada por 28 ases, pilotos de combate da Aviação Naval da Marinha dos Estados Unidos (US Navy) e Corpo de Fuzileiros Navais (United States Marine Corps-USMC), incluindo Joe Foss, Swede Vejtasa, Ed Copeland, Robert Porter, CM Kunz, Louis A. Menard Jr., George C. Axtell, Jack Watson, Charles Haverland, Ray Hawkins, Randy Cunningham, Whitey Feightner, EA Phillips, Willy Drill, Guy Bordelon Jr., Alex Vraciu, Chuck Older, Elvin Lindsay, Robert Davis, Marvin Franger, Herbert Long, Ralph Rosen, Joseph McGraw, Chick Smith, PE Drury, Archie Donahue, Dick Rossi e Jim Swett.

Cunningham e Driscoll posam no seu F-4J Phantom II.

O F-4J Phantom II 5800 retratado foi voado pelo único “Phantom Duo” declarado Ás da US Navy na Guerra do Vietnã, a dupla Duke Cunningham e seu Radar Intercept Officer (RIO) “Irish” Driscoll (Esquadrão VF-96 USS Constellation).

A dupla é creditado um combate famoso contra o MIG-17 RED 3020, que resultou na morte do Ás dos Ases norte-vietnamitas, conhecido como “coronel Tomb”, a época considerado um temível adversário com 13 (16) vitórias.

Alexander Vraciu e seu F-6F Hellcat “Blue 32”.

O F-6F Hellcat Blue 32 foi voado pelo Ás Alexander Vraciu, que alcançou a marca de 19 vitórias em combate. Vraciu foi ala de outro nomeado para a Medal of Honor (post-mortem), Edward “Butch” O’Hare, morto em combate voando o F-4F Wildcat.

O Às Joe Foss (26 vitórias homologadas)..

O F-4F Wildcat que aparece em voo, Blue 50, está nas cores e marcas do Às dos Ases da US Navy, Joe Foss, 26 vitórias em combate, a maioria delas conquistadas em Guadalcanal entre 1942 a 1943, baseado em Henderson Field. Após a Guerra, se destacou como político e empresário de TV transmitindo a NFL.

O Duplo Ás do USMC, John F. Bolt, é representado pelo seu F-86 Sabre FU-852 Darling Dottie, máquina com a qual abateu 12 caças na chamada MIG Alley.

John Bolt: Às em duas guerras distintas, voando duas aeronaves diferentes, o F-4U Corsair e depois o F-86 Sabre.

Na 2ª Guerra Mundial, voando F-4U Corsair, ele abateu seis aeronaves japonesas. Foi o único Ás da Era do Jato no USMC, é o único Ás em duas guerras distintas.

O F4U-5N (BuNo 124453) “Annie-Mo” foi voado na Coréia por Guy P. Bordelon, Esquadrão de Caça Noturna VC-3. Bordelon foi o único caçador da US Navy a alcançar a marca de cinco vitórias em combate aéreo (Ás) naquela guerra.

Guy Bordelon voou seu Corsair F-4G no Esquadrão VC-3 durante a Guerra da Coréia.

Enquanto os ases pilotando jatos receberam muito mais atenção, Bordelon merece destaque justamente por conseguir vitórias em combate aéreo voando uma máquina obsoleta, o caça de propulsão a hélice.

Já o incrível Capitão USMC Stanley W. “Swede” Vejtasa alcançou a marca de Ás voando no Scouting Squadron (VS) 5, pilotando o perigoso SBD-3 Dauntless a bordo do USS Yorktown (CV 5).

Stanley W. “Swede” Vejtasa abateu três manobráveis caças ZERO voando um Dauntless!

Em maio de 1942, entrou para a história ao abater três zeros na Batalha do Mar de Coral. Terminou a guerra com 10.25 vitórias! Considerando que o Dauntless não foi projetado para combate aéreo, e tinha fama de avião perigoso pelas suas qualidades ruins de pilotagem, pode-se entender o por que do adjetivo “incrível”.

 Texto & Pesquisa: Roberto Valadares Caiafa