Argentina negocia compra de aviões Mirage

0
3485
A chegada dos Mirage F1 recuperaria parte da capacidade de superioridade aérea da FAA (Imagem: Armée de L’Air)

De acordo com o jornal argentino La Nación, o ministro da Defesa da Argentina, Julio Martinez, disse que está negociando com a França a aquisição de 12 aviões de combate Mirage F1 e alguns Mirage 2000, além de motores sobressalentes para um lote de turboélices antiguerrilha Pucará da Força Aérea Argentina (FAA) atualmente imobilizados.

De passagem pela França para visitar a feira internacional Eurosatory 2016, Martinez foi recebido na última terça-feira (14) por seu colega francês, Jean-Yves Le Drian, com quem analisou com detalhes a possibilidade dessa compra.

Martinez disse que a operação prevê um excelente preço e condições favoráveis. De acordo com o ministro argentino, o contexto da aquisição evoluiu de forma favorável devido ao acordo entre ambos os ministros de circunscrever a operação  de “Estado para Estado” com propósito de  evitar intermediações e aproveitar o novo clima de confiança instaurado entre os dois países.

Martínez não quis adiantar o montante financeiro envolvido, modalidades da operação e prazos de pagamento afirmando que as negociações não estão terminadas. Martinez disse também que apesar de ter havido proposta dos Estados Unidos para venda de caças F-16, a opção francesa esta mais próxima das necessidades da Argentina, afirmando que o custo da hora de voo do modelo norte-americano é mais elevado. Por outro lado, Martinez lembrou que os pilotos argentinos conhecem os Mirages há décadas e o processo de adaptação à outra tecnologia seria oneroso.

O Equador recebeu um lote de Mirage F1 a partir de 1979, que já não estão mais na ativa. (Imagem: Força Aérea do Equador)

O ministro argentino disse que outros países também tem apresentado propostas, entre eles, a Itália. De acordo com o La Nación, a Saab ofereceu o Gripen NG que poderia ser montado no Brasil com participação da Argentina incluindo transferência de tecnologia.

Falando sobre os motores para os Pucará da FAA, o ministro ressaltou a importância de comprar novos Turbomeca Astazou da francesa Safran para reequipar cerca de vinte aeronaves do modelo atualmente inativos.

Conforme Matinez, esses aviões reforçarão as operações de vigilância das fronteiras norte do país, principal porta de entrada de drogas na Argentina. De acordo com ele, aviões supersônicos não são adequados para essa atividade e os Pucará são absolutamente apropriados.

Ivan Plavetz
Fonte: La Nación