Airbus H145M voa com sistema de armas HForce completo

0
931
H145M equipado com HForce: poder de fogo típico para helicópteros de ataque.

No final de agosto, um helicóptero Airbus H-145M realizou em Donauwörth o primeiro voo com uma instalação completa do sistema de armas HForce.

Graças a esse sistema de armas modular, todo tipo de armamento balístico ou guiado, como mísseis, foguetes guiados a laser ou tradicionais, canhões e metralhadoras, podem equipar/armar  alguns modelos de helicópteros Airbus.

A qualificação para uso no H-145M deverá ser obtida antes do final de 2018, permitindo atender a encomenda da Sérvia, que adquiriu nove helicópteros, e destes quatro serão “atacantes” armados equipados com o HForce.

O trio H-125M/H-145M/H-225M durante os testes do HForce em 2016.

HForce apresenta excelente custo-benefício e pode ser instalado em qualquer versão militar de helicópteros civis H-125M, H-145M e H-225M.

Um flexível gerenciamento (plug and play) permite que Forças Armadas interessadas em complementar suas frotas com versões especializadas de helicópteros de ataque leve o façam com um menor dispêndio de recursos.

Nota do Autor: A Aviação do Exército Brasileiro (AVEX) estuda há alguns anos a obtenção de helicópteros de ataque “puros”, no entanto, não existe uma doutrina operacional dentro do EB sobre o tema, muito menos recursos orçamentários para um programa desse porte, na atualidade.

Premida pela certeza “não fazer nada é sempre a pior opção”, a Aviação do Exército estuda (conceitualmente) uma solução intermediária para a introdução, no curto prazo, de uma esquadrilha de 12 exemplares do Fennec/Esquilo/H-125M modernizados, equipados com o HForce.

Um H-225M armado com canhões de 20 mm. Essa configuração é desejada pelo EB para emprego em alguns tipos de missões como C-SAR.

Esses 12 exemplares fariam o papel de helicópteros de ataque interinos armados com ATGM, foguetes de 70 mm e canhões/metralhadoras, criando a doutrina de emprego e preparando pilotos para o próximo passo.

A arquitetura “COTS” do HForce permite a integração de armas de qualquer procedência/fabricante, viabilizando as Forças Armadas com severas restrições orçamentárias implementar um força de helicópteros de ataque usando seus aparelhos utilitários e de manobra adaptados a função.

Em 2016, o trio H-125M/H-145M/H-225M foi testado armado com canhões de 20 mm. Mísseis Hellfire foram instalados e testados em voo no H-225M.

Instalação de mísseis Hell Fire em um H-225M, usando a interface de sistema de armas HForce.

HForce permitiria uma reconfiguração “plug and play” de rápida execução, flexibilizando o emprego desses helicópteros tanto em missões reais como em exercícios e treinamentos, quando operam desarmados.