Airbus finaliza processo de construção do satélite oceânico Sentinel-6A

0
401
O “Copernicus Sentinel-6” realizará medições de alta precisão da topografia da superfície dos oceanos. O satélite medirá sua distância à superfície dos oceanos com precisão de alguns centímetros e, durante uma missão de até sete anos, usará esses dados para mapeá-los, repetindo o ciclo a cada 10 dias.
  • O satélite Copernicus agora passará por extensos testes, e seu lançamento está programado para novembro de 2020

A Airbus concluiu o satélite oceânico “Copernicus Sentinel-6A” e ele agora fará sua primeira jornada. Seu destino: Ottobrunn, perto de Munique, na Alemanha, onde nos próximos seis meses passará por uma extensa série de testes na Industrieanlagen Betriebsgesellschaft mbH (IABG) para comprovar sua disponibilidade operacional para ser enviado ao espaço.

O “Copernicus Sentinel-6” realizará medições de alta precisão da topografia da superfície dos oceanos. O satélite medirá sua distância à superfície dos oceanos com precisão de alguns centímetros e, durante uma missão de até sete anos, usará esses dados para mapeá-los, repetindo o ciclo a cada 10 dias. Ele documentará mudanças na altura da superfície do mar, registrará e analisará variações no nível do mar e observará as correntes oceânicas. As observações exatas de mudanças na altura da superfície do mar fornecem informações sobre os níveis globais do mar, a velocidade e a direção das correntes oceânicas e o armazenamento de calor pelos oceanos. Essas medições são vitais para modelar os oceanos e prever aumentos no nível do mar.

As conclusões permitirão que governos e instituições estabeleçam uma proteção eficaz para as regiões costeiras. Os dados serão inestimáveis​​não apenas para organizações de ajuda humanitária, mas também para as autoridades envolvidas no planejamento urbano, na proteção de prédios ou na instalação de diques.

O nível global do mar está atualmente aumentando 3,3 milímetros em média por ano, como resultado do aquecimento global; isso pode ter consequências dramáticas para países com áreas costeiras densamente povoadas.

Dois satélites Sentinel-6 para o Programa Copernicus Europeu de meio ambiente e segurança estão sendo hoje desenvolvidos sob a liderança industrial da Airbus. Embora faça parte de uma das famílias de missões de satélites Copernicus da União Europeia, o Sentinel-6 também está sendo realizado graças a uma cooperação internacional entre ESA, NASA, NOAA e Eumetsat.

Cada satélite pesa aproximadamente 1,5 tonelada. A partir de novembro de 2020, o Sentinel-6A será o primeiro dos dois satélites Sentinel-6 a continuar coletando medições baseadas em satélite das superfícies dos oceanos, uma tarefa iniciada em 1992. O Sentinel-6B deverá ser lançado em 2025.