Aeróstatos cativos para monitoramento e radiocomunicações

0
1055
A solução ISR com aerostato 100% nacional é uma característica da Altave.

A brasileira Altave está presente no continente europeu, a partir de julho corrente, por meio da francesa Airstar Aerospace.

Em recente cerimônia, realizada em Paris, as empresas assinaram a parceria na presença do brigadeiro Paulo Roberto de Barros Chã e do capitão-de-mar-e-guerra Leonardo José Trindade de Gusmão, ambos da Secretaria de Produtos de Defesa (Ministério da Defesa do Brasil).

Também estiveram presentes Marcelo Sáfadi, diretor de Negócios do Parque Tecnológico de São José dos Campos e do Cluster Aeroespacial Brasileiro, autoridades do Ministério do Interior da França e convidados.

O aerostato ISR da Altave a postos no Parque Tecnológico de SJC (Foto: Altave).

 

Esta parceria industrial consiste na introdução dos aeróstatos táticos e soluções ISR (Intelligent Surveillance Reconnaissance) da Altave no portfólio da Airstar Aerospace, com licenciamento e certificação dessas soluções para o mercado europeu, incluindo aí veículos mais leves que o ar e serviços inovadores envolvendo múltiplas aplicações.

Diretor da Altave demonstra as telas de sensores do balão ISR (Foto: Caiafa).

Fundada em março de 2011 por dois engenheiros recém-formados pelo Instituto tecnológico de Aeronáutica (ITA), a companhia nasceu em uma incubadora localizada no interior do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) e hoje também possui um escritório no Parque Tecnológico de São José dos Campos.

Em 2016 ganhou notoriedade internacionalmente em decorrência de seu sucesso na implantação de quatro balões de monitoramento persistente de grandes áreas nos Jogos Olímpicos RIO 2016, garantindo a segurança de todas as sedes olímpicas no Rio de Janeiro.

Hoje, a empresa é fabricante sem similar nacional de aeróstatos cativos para monitoramento e radiocomunicações, detendo certificado de exclusividade pela ABIMDE (Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança), tanto para venda dos sistemas como para prestação de serviços.

Roberto Caiafa