Acidente em Murmansk: guindaste atinge o NAe Admiral Kuznetsov (Rússia).

0
1892
Um guindaste caiu sobre o porta-aviões Admiral Kuznetsov, o navio-almirante da Marinha da Rússia que está passando por uma reforma geral em Murmansk, deixando um buraco acima da linha d'água que mede 4 por 5 metros
  • Um guindaste caiu sobre o porta-aviões Admiral Kuznetsov, o navio-almirante da Marinha da Rússia que está passando por uma reforma geral em Murmansk, deixando um buraco acima da linha d’água que mede 4 por 5 metros, disse Alexei Rakhamnov, chefe da United Shipbuilding Corporation.

Um dique seco flutuante (doca flutuante PD-50) no qual o navio-aeródromo russo “Almirante Kuznetsov” recebia reparos em Murmansk, ficou submerso na água depois de uma interrupção no suprimento de energia.

O acidente ocorreu na madrugada de 30 de outubro.

A consequência foi imediata, a falta de energia causou a queda de pelo menos um guindaste no convés do porta-aviões, abrindo um rombo e causando ferimentos aos trabalhadores das equipes de reparo que trabalhavam na embarcação.

 

De acordo com a publicação local “Severest”, foram dois guindastes do tipo “krane tower” que tombaram, um dos quais caiu sobre o porta-aviões.

Dos quatro feridos reportados até o momento, três deles foram levados para a enfermaria do estaleiro, e pelo menos um em estado grave foi removido para um hospital, o Centro de Medicina de Acidentes da região de Murmansk.

Uma das vítimas apresentava feridas no abdômen e hipotermia (removida para o hospital), três outras foram resgatadas em condições medianas, apresentando quadro de hipotermia.

A imprensa local tem informado nas últimas horas que o número de vítimas, incluindo fatalidades, deverá aumentar.

Um navio problemático ex-guerra fria

O porta-aviões Admiral Kuznetsov estava em doca seca para uma reforma total programada para ser concluída até 2020, após um deployment desastroso para apoiar o presidente sírio, Bashar Assad, quando sua ala aérea perdeu várias aeronaves no Mediterrâneo e sua Praça de Máquinas deixou uma fumaça negra e grossa ao longo de sua jornada, visível a quilômetros de distância.

O Kuznetsov raramente navega sem um rebocador por perto, já que sofre com problemas crônicos de propulsão.

A Rússia estaria planejando construir um novo porta-aviões que seria o maior do mundo, para acomodar uma versão naval de seu novo caça Sukhoi Su-57.

No entanto, o Su-57 nunca conseguiu alcançar a produção em série, e apenas 10 protótipos em diferentes fases de desenvolvimento existem hoje.

A julgar pelos problemas no Admiral Kuznetsov e o desenvolvimento em marcha lenta do SU-57, os russos precisarão de muito tempo extra e mais dinheiro até conseguirem apresentar uma força naval nucleada em porta-aviões com uma aviação embarcada eficaz e navios realmente confiáveis.