A UNASUL e o seu VANT regional

0
1967
O programa deverá selecionar empresas para execução do projeto, e a brasileira Harpia emerge como potencial candidata. (Imagem: Harpia)
O programa deverá selecionar empresas para execução do projeto, e a brasileira Harpia emerge como potencial candidata. (Imagem: Harpia)
O programa selecionará empresas para execução do projeto, e a brasileira Harpia emerge como potencial candidata. (Imagem: Harpia)

Após quatro dias de discussões, os doze países membros da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) entraram em consenso e definiram os requisitos técnicos do sistema VANT (Veículo Aéreo Não Tripulado) regional da América do Sul. As definições foram tomadas durante encontro realizado na última semana em Salvador (BA).

Entre as funções definidas para o sistema VANT regional, ficou estabelecido que os sensores e toda a eletrônica embarcada deverão ser resistentes a mudanças bruscas de temperatura e umidade. De acordo com o coronel Geraldo Branco, coordenador técnico do Grupo de Trabalho Projeto VANT Unasul e representante do Departamento de Ciência e Tecnologia Industrial do Ministério da Defesa, o VANT regional deverá ter capacidade de operar tanto na Amazônia, região quente, úmida e dominada por baixas altitudes, como também em regiões frias e elevadas como os Andes. No documento consta a autonomia para que todos os países possam operar o sistema e os desempenhos mínimos que serão exigidos da aeronave.

Representantes dos 12 países membros da Unasul se reuniram em Salvador. (Imagem: Ministério da Defesa)
Representantes dos 12 países membros da Unasul se reuniram em Salvador. (Imagem: Ministério da Defesa)

Os países sul-americanos estabeleceram que o VANT Unasul terá um sistema de controle em solo tão flexível que possibilitará a realização de voos de longa distância, passando o controle de uma estação de solo para outra sem a necessidade de interromper a missão quando sair do limite de alcance do sinal. De acordo com o coronel Geraldo Branco, graças a essa característica, as polícias de países vizinhos poderiam vir a realizar operações conjuntas para coibir ilícitos como o tráfico de drogas.

Outra definição fechada neste encontro foi as características do sistema VANT regional. Elas seguirão a mesma tipologia padrão desse tipo de aeronave de médio porte, ou seja, uma estação de terra, um sistema de transmissão e recepção de dados e duas ou mais plataformas aéreas (aeronaves).

VANT Falcão da Avibras (Imagem: Avibras Aeroespacial)
VANT Falcão da Avibras (Imagem: Avibras Aeroespacial)

Segundo o coronel Geraldo Branco, a reunião de definição dos requisitos técnicos ocorreu em clima de harmonia e cooperação, com a participação ativa de todos os países do bloco. Superada esta etapa, em 2015 o projeto VANT Unasul entrará na fase de definição do modelo empresarial que irá estabelecer de que forma as empresas de cada país participarão do empreendimento. “Após a definição do modelo, o projeto entrará na fase de definição dos requisitos logísticos e industriais”, afirmou  o coordenador.

Em desenvolvimento no âmbito do Conselho de Defesa Sul-Americano (CDS), o VANT Unasul tem como principal objetivo a cooperação com os países do bloco e o consequentemente fortalecimento da Base Industrial de Defesa da América do Sul.

Ivan Plavetz