A experimentação doutrinária da Bateria de Busca de Alvos

0
3308
Imagem 1 SARP-Exército Brasileiro
(Imagem: Centro de Doutrina do Exército)

Entre os dias 01 e 02 de outubro de 2015, a 3ª Subchefia do Estado-Maior do Exército (3ª SCh EME/Doutrina) acompanhou o Exercício de Experimentação Doutrinária da Bateria de Busca de Alvos (Bia BA) conduzida pelo Comando Militar do Oeste (CMO).

A Bia BA está sendo implantada no 9º Grupo de Artilharia de Campanha (9º GAC), sediado em Nioaque (MS) e o exercício visou adestrar a seção que emprega o Sistema de Aeronave Remotamente Pilotado (SARP), material de emprego militar (MEM) recém adquirido pelo Exército Brasileiro.

Imagem 2 SARP-Exército Brasileiro
Breafing antecedendo a operação de lançamento. (Imagem: Centro de Doutrina do Exército)

A atividade iniciou com uma apresentação sobre o projeto de implantação da Bia BA e o recebimento do SARP categoria 1 Horus FT 100, visita às instalações e a uma exposição de material e, na jornada seguinte, exercício prático com a utilização de todo o sistema.

O Horus FT100 é uma aeronave sem piloto desenvolvida e fabricada pela FT Sistemas de São José dos Campos. Trata-se de uma plataforma de voo tipo “olhos da tropa”, que pode ser facilmente transportada por dois soldados.

Imagem 3 SARP-Exército Brasileiro
Lançamento do Horus FT100 (Imagem: Centro de Doutrina do Exército)

O SARP foi projetado para ser empregado em missões típicas de curto alcance realizadas por pelotões, companhias ou até batalhões. A suíte de sensores do Horus FT100 é composta normalmente de um sistema de imageamento eletro-óptico e infravermelho, designador de alvos laser, sistema de inteligência de sinais (SIGINT) e equipamento de aerofotogrametria. Seu alcance útil situa-se entre 9 e 15 quilômetros.

Ivan Plavetz